Gafisa tem prejuízo de R$ 12,6 milhões no 4° trim

 

SÃO PAULO, 10 de março de 2009 - A incorporadora Gafisa registrou prejuízo líquido de R$ 12,6 milhões no quarto trimestre de 2008, mesmo assim a companhia encerrou 2008 com um lucro líquido de R$ 109,9 milhões - acréscimo de 20% em relação ao ano anterior.

Segundo Wilson Amaral, CEO da Gafisa, o resultado é satisfatório e indica que a companhia mantém o desempenho positivo desde 2005 com destaque para crescimento anual médio de lançamentos (86%) e vendas (79%)."Apesar do cenário econômico desfavorável, nossos resultados no quarto trimestre impulsionados por fortes resultados de vendas em Alphaville e Tenda, estiveram em linha com nossa performance histórica, excluindo despesas extraordinárias relacionadas a ações que foram tomadas no sentido de preservar o caixa da Companhia e seu crescimento contínuo", ressaltou em comunicado.

O desempenho das vendas contribuiu para que a companhia acumulasse em 2008 uma receita líquida de R$ 1,7 bilhão, o que representa uma expansão de 45% em relação a 2007. Já o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) aumentou 61% no ano passado, saltando de R$ 137,4 milhões para R$ 220,8 milhões.

Amaral destaca que a partir do segundo semestre de 2008, o mercado imobiliário passou a sofrer os efeitos da retração global, o que resultou em menor velocidade de vendas, principalmente devido à maior cautela por parte dos consumidores. De acordo com ele, essa mudança de comportamento dos compradores pode influenciar nas taxas de crescimento do setor e da companhia, entretanto, cenário atual pode mudar consideravelmente em um curto período de tempo devido a pacotes de estímulo direcionados para a revitalização da economia e em particular, financiamento público e outros incentivos na tentativa de fomentar o crescimento do setor imobiliário de baixa renda. "Diversos fatores apontam para uma contínua expansão e oportunidades no médio e longo prazos", acredita.

A Gafisa pode ser beneficiada pelo aguardado pacote de estimulo para o setor habitacional de baixa renda porque desde de setembro de 2008 é a controladora da Tenda, companhia voltada exclusivamente para este segmento. (VS - InvestNews)