Gafisa mantém a meta de lançamentos

Apesar de ter lançado apenas R$ 461 milhões no primeiro semestre, a Gafisa mantém sua meta de Valor Geral de Vendas (VGV) de lançamentos para o ano de R$ 2,7 bilhões a R$ 3,3 bilhões. Conforme o diretor financeiro e de relações com investidores da companhia, André Bergstein, os lançamentos terão "concentração equilibrada ao longo do semestre". "Vamos olhar com calma para fazer lançamentos no momento certo e de acordo com a demanda do mercado", disse Bergstein.

A Gafisa está constituindo um banco de terrenos compatível com o nível de lançamentos que considera adequado para 2014 e 2015, segundo o executivo. A empresa comprou terrenos com VGV potencial de R$ 1 bilhão no primeiro semestre. As aquisições resultam em desembolso de R$ 100 milhões no ano.

As despesas gerais e administrativas da incorporadora deverão cair, de acordo com Bergstein, devido à redução da complexidade de divisão Tenda e da concentração da marca Gafisa em São Paulo e no Rio de Janeiro.

Em relação aos cancelamentos de vendas, os chamados distratos, a expectativa é que o patamar fique estabilizado neste semestre, conforme o diretor-presidente da incorporadora, Duilio Calciolari. As unidades distratadas da divisão Gafisa têm sido vendidas com alta de preços em São Paulo e no Rio de Janeiro e com boa velocidade de comercialização. Em São Paulo, os aumentos estão em torno de 10% e, no Rio, chegam a 15% ou 20%.

Em outros mercados, o preço de venda das unidades distratadas está estável "ou até menor", segundo Calciolari, caso de Belém, São Luís e Salvador. Nesses mercados, há excesso de oferta, e tem havido alguns descontos. Na Tenda, as altas de preços das unidades que retornaram à empresa por conta dos distratos são inferiores a 10%.

Na divisão Gafisa, a margem bruta ainda é impactada pelos projetos lançados anteriormente fora de São Paulo e do Rio de Janeiro. As unidades antigas de Tenda, menos rentáveis, devem ser concluídas até o fim de 2014.

No segundo trimestre, a Gafisa teve prejuízo líquido de R$ 14 milhões, ante o lucro líquido de R$ 1 milhão no mesmo período de 2012. A receita líquida caiu 18%, para R$ 640,9 milhões. Em junho, a Gafisa fechou venda de 70% da Alphaville Urbanismo para as gestoras de private equity Pátria e Blackstone. O ativo, cuja transferência ainda não foi concluída, foi contabilizado como "operação descontinuada" no balanço.

Por Chiara Quintão
 
Fonte: Valor Econômico, 13/08/2013.