Mercado de condomínios logísticos apresenta estabilidade

O mercado de condomínios logísticos de alto padrão iniciou o ano de 2015 de forma estável. O primeiro trimestre do ano demonstrou que o mercado está atento ao momento econômico e houve retração na entrega de novas metragens, o que colaborou para que a equação entre a demanda e a oferta ficasse estável. A absorção líquida fechou o primeiro trimestre do ano em 219 mil m², crescimento 41% superior ao último trimestre de 2014.

Os dados são da Colliers International Brasil. De toda a área absorvida no Brasil neste primeiro trimestre, o estado de São Paulo foi responsável por 51% das locações, com destaque para a região de Campinas, que concentrou 74% deste total. O Rio de Janeiro representou 17% da absorção líquida nacional, enquanto o Ceará teve 11%.

A taxa de disponibilidade dos condomínios logísticos fechou o primeiro trimestre do ano em 17%, índice que vem sendo mantido desde o começo de 2014. O inventário nacional terminou o período em 9.812 milhões m², sendo 71% de empreendimentos modulares e 29% de não modulares.

Em relação ao preço médio pedido de locação, o Sudeste apresenta os maiores valores, R$ 20,90 m²/ mês, seguido por Norte (R$19,50), Sul (R$ 17,70), Nordeste (R$ 16,40) e Centro-Oeste (R$ 16,20). Os maiores preços médios pedidos de locação são encontrados no Rio de Janeiro, R$ 26,20 m²/mês, e os menores estão no Ceará, R$ 15,50 m²/mês.

Fonte: UOL, Canal Executivo, 11/06/2015