Curtas da Construção

Gafisa lançou 14 projetos no 4º trimestre de 2015 – A Gafisa informou nesta segunda-feira que lançou cinco projetos no quarto trimestre de 2015 no segmento Gafisa, com valor geral de venda (VGV)de R$ 380,3 milhões. O segmento corresponde a empreendimentos residenciais nos setores de média, média-alta e alta renda, com valor unitário superior a R$ 250 mil. No ano, o segmento Gafisa alcançou R$ 996,3 milhões em lançamentos, ou 47,8% dos lançamentos consolidados. No segmento Tenda — empreendimentos residenciais na área econômica, enquadrados dentro da Faixa II do Programa Minha Casa, Minha Vida —, a empresa lançou nove projetos, com VGV de R$ 302,6 milhões. No ano, os lançamentos alcançaram R$ 1,1 bilhão, representando 52,2% dos lançamentos consolidados do período. No total, foram 14 projetos lançados com VGV de R$ 682,9 milhões, aumento de 182,7% em comparação ao quarto trimestre de 2014 e de 12,5% ante o terceiro trimestre. As vendas líquidas somaram R$ 482,6 milhões no quarto trimestre, o que representa um aumento de 58,8% na comparação anual e redução de 2,1% em relação ao trimestre anterior. (Valor, 18/01/2016). Leia mais no Valor Econômico 

Perspectiva para mercado imobiliário residencial no Brasil se enfraquece, diz Fitch - A perspectiva para o mercado imobiliário residencial e de hipotecas no Brasil se deteriorou em 2016 em comparação com o ano passado, disse a agência de classificação de risco Fitch, afirmando que a recessão econômica e os juros altos pesam sobre o setor no país. O setor no Brasil tem uma perspectiva estável/negativa, enquanto a maioria dos países em relatório anual da Fitch possui perspectiva estável ou estável/positiva. "No Brasil, a crise econômica, a queda na renda real das famílias, o crédito cada vez mais restrito e restrições de acessibilidade significam que esperamos um novo declínio de preços em termos reais de cerca de 10 por cento neste ano", disse a Fitch. "Esperamos que os novos volumes de empréstimos permaneçam deprimidos em 2016, embora possam começar a se estabilizar em termos reais em 2017 dependendo da disponibilidade de poupanças". A perspectiva estável/negativa do Brasil é a mesma atribuída pela Fitch à África do Sul, enquanto o México tem perspectiva estável. (Reuters, 18/01/2016)

São Paulo responde por 60% da absorção no mercado de condomínio logísticos - Mesmo com um ritmo menos acelerado, o mercado de condomínios logísticos de alto padrão apresentou bons números no ano de 2015. De acordo com monitoramento da Colliers International Brasil, o mercado nacional fechou o ano com uma absorção líquida de 772 mil m², metragem 30% menor do que foi absorvido no ano anterior. O Estado de São Paulo foi o destaque do país, com uma absorção de 486 mil m². A absorção no Rio de Janeiro foi de 98 mil m², quatro vezes maior do que em 2014, e o Nordeste fechou o período com 133 mil m² absorvidos. Em relação à taxa de disponibilidade, o mercado nacional ficou com uma taxa de 19%, dois pontos acima da taxa do ano anterior. O Nordeste apresenta uma taxa bem abaixo da média nacional, 10%, sendo que Pernambuco tem taxa de disponibilidade de 7%. O Rio de Janeiro fechou o ano com disponibilidade de 15% e São Paulo com 22%. Após o fechamento de 2015, o inventário do país é de 10.840 milhões m², sendo que a maior parte está em São Paulo, 6.659 milhões m². Rio de Janeiro e Nordeste apresentam a mesma quantidade de inventário, 1.179 milhão m². O preço médio pedido de locação no Brasil sofreu ligeira redução, passando de R$ 20,50 m² / mês para R$ 20,00 m² /mês. Os valores mais baixos são encontrados no Nordeste (R$ 16,40 m²/mês), enquanto o Rio de Janeiro pratica os preços mais altos (R$ 24,60 m²/mês). O Estado de São Paulo fechou o ano com média de preço igual à média nacional. (Canal Executivo, 19/01/2016)

Grande SP tem valorização abaixo da inflação do m² para venda em 2015 - O VivaReal, portal de imóveis no Brasil, apresenta o índice DMI-VivaReal, com análises referentes a indicadores do setor imobiliário em 30 cidades brasileiras. Na região da grande São Paulo, Osasco (+4,8%) foi a cidade que apresentou maior valorização do valor médio do m² para venda. São Bernardo do Campo (+4,7%), Santo André (+3,1%), São Caetano do Sul (+3,0%), Diadema (+0,5%) e Barueri (+0,5%) também apresentaram valorização – todas abaixo do índice de inflação acumulada no período - IPCA de 10,67%. O preço médio do m² para aluguel apresentou valorização apenas em São Caetano do Sul (+4,2%) e São Bernardo do Campo (+0,8%), porém abaixo da inflação acumulada para o período - IGP-M de 10,54%. Barueri (-5,0%), Osasco (-4,5%) e Diadema (-1,8%) sofreram desvalorização durante o ano. O valor médio do m² para aluguel em Santo André fechou o período de maneira estável. (Canal Executivo, 18/01/2016)

Cultura ecológica - A nova sede do Instituto Moreira Salles, que deve ser inaugurada em 2017 na Avenida -Paulista, será construída inteiramente de forma sustentável. Ao projetá-la, o escritório Andrade Morettin teve desde o início a preocupação com iluminação natural na praça, biblioteca, café e restaurante. (O Estado de São Paulo, 16/01/2016)

Congelamento do governo de S. Paulo atinge R$ 13,4 bilhões apenas em 2016 - Os congelamentos do governo de São Paulo no orçamento chegaram a R$ 13,4 bilhões só em 2016. Na última sexta-feira (15), novo decreto do governador Geraldo Alckmin (PSDB), publicado no Diário Oficial, atingiu serviços de custeio e da dívida do estado. A razão é a crise econômica, que impacta a arrecadação, e, por isso, as ações de austeridade fiscal. O governo paulista começa a rever alternativas de financiamento para infraestrutura. Uma das mudanças avaliada pelo governo é a substituição de fontes de receita no caso de obras, ou seja, a fonte do Tesouro por fonte de operação de crédito. “A propósito dessa medida, o Estado de São Paulo possui espaço fiscal para ampliar essas captações de empréstimos para tocar os grandes investimentos, mas, aguarda aprovação da Secretaria do Tesouro Nacional desde o ano passado”, disse o secretário do Planejamento, Marcos Antonio Monteiro. (DCI, 18/01/2016)

Sabesp suspende obras de esgoto para priorizar investimento em água - Sabesp decidiu suspender algumas de suas principais obras de coleta e tratamento de esgoto para priorizar o investimento em abastecimento de água. Entre os contratos adiados, estão três de despoluição do rio Tietê. A empresa diz que, "na busca do melhor e mais seguro atendimento à população, está reavaliando momentaneamente os cronogramas de andamento dos programas de infraestrutura de esgotos". Afirma ainda, em nota, que o biênio 2014-2015, "de seca sem precedentes", exigiu a antecipação de investimentos e ações emergenciais no abastecimento de água e que neste ano serão "destinados recursos vultosos" para garantir o fornecimento. Segundo a Apeop (Associação Paulista de Empresários de Obras Públicas), empresas que executavam os projetos foram informadas que os contratos serão retomados, mas as datas não foram comunicadas. A estatal afirma ter feito "investimentos significativos" em esgoto na região metropolitana de São Paulo nos últimos 20 anos, "o que permitiu o alcance dos atuais níveis de coleta (87%) e tratamento (68%)". (Folha de S. Paulo, 18/01/2016)

IPC-S sobe 1,3% na segunda leitura do mês - O Índice de Preços ao Consumidor - Semanal (IPCS) acelerou para 1,3% na segunda quadrissemana de janeiro, informou ontem a Fundação Getulio Vargas (FGV ). Na primeira leitura do mês a alta foi de 0,99%. Registraram acréscimo Educação, Leitura e Recreação (de 1,27% para 3,06%), Alimentação (de 1,92% para 2,19%), Habitação (de 0,45% para 0,68%), Transportes (de 0,85% para 1,14%), Comunicação (de 0,25% para 0,5%) e Despesas Diversas (de 0,73% para 1,02%). Apenas Vestuário teve desaceleração (de 0,81% para 0,44%). O grupo Saúde e Cuidados Pessoais ficou estável em 0,62%. (Jornal do Commercio, 19/01/2016)

Taiwan ganha igreja no formato de sapato de salto alto - A cidade de Chiayi, em Taiwan, ganhou uma igreja no formato de um sapato de salto alto. A estrutura de vidro azul levou três meses para ficar pronta, a um custo de US$ 685 mil. Ela tem cerca de 17 metros de altura e 11 metros de comprimento. A inauguração deve ocorrer em fevereiro, antes do Ano Novo Lunar. A ideia é usar a igreja para casamentos e para fotografias, mas não para serviços religiosos normais. (G1, 18/01/2016)

Veja 5 passos para comprar um imóvel nos EUA -  Os Estados Unidos, definitivamente, voltaram a ser a bola da vez para os brasileiros com mais renda. É cada vez mais comum ouvir o relato de pessoas que começaram a investir no país, ou ainda se mudar de vez para lá. No entanto, podem acontecer muitos problemas na hora de comprar um imóvel nos EUA. A corretora Authentic Real Estate aponta cinco passos para comprar.

1 – Quanto gastar?
Primeiro é preciso definir quanto gastar. A corretora afirma que, a partir de US$ 260 mil, é possível adquirir uma casa dentro de condomínio fechado na Flórida com três quartos, piscina e churrasqueira. No entanto, além do preço, é preciso pagar também a documentação da aquisição. "Vale separar cerca de 3% do valor do imóvel para resolver trâmites burocráticos", assegura Tiago Ferreira, fundador da Authentic Real Estate.

2 – Para que comprar?
Você vai alugar ou morar na casa? Para quem pretende passar apenas algum período do ano, vale a pena pensar na locação por temporada. Essa alternativa pode garantir renda para cobrir as despesas de manutenção do imóvel e ainda garantir um lucro anual estimado em 7% a 12% do valor da propriedade, de acordo com Ferreira.

3 – Como comprar?
Para comprar é necessário usar o nome de uma pessoa física ou jurídica? De acordo com a corretora, a primeira modalidade é menos burocrática, mas tem desvantagens, como o Imposto de Sucessão, que é uma taxa cobrada que pode chegar a 40% do valor do bem. Já a aquisição por uma pessoa jurídica traz menos impostos, mas não é a mais indicada para quem queira financiar o imóvel.

4 – Como é o processo?
O processo de compra de um imóvel nos EUA é diferente do Brasil. Enquanto aqui é necessário entrar em contato com várias imobiliárias para encontrar a melhor oportunidade, lá cada corretor tem acesso a todas as propriedades no Estado em que é licenciado. Isso faz com que o investidor possa trabalhar com apenas um corretor.

5 – Como fazer o pagamento?
A imobiliária destaca os juros baixos para financiamento nos EUA. "Enquanto a taxa no Brasil chega a quase 10% ao ano, nos Estados Unidos os juros anuais giram em torno de 3,5%. O comprador paga a entrada e tem até 30 anos para quitar o restante", aponta a Authentic Real Estate. 

Se você qusier saber mais sobre esse assunto, clique aqui no site do Authentic Real Estate 

(Folha de S. Paulo, 18/01/2016)