Nova modalidade contra o distrato

O distrato (rescisão ou anulação de um contrato) é o grande drama do mercado imobiliário atualmente. Segundo a Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc), foram registrados cerca de 41 mil distratos nos últimos 12 meses, o que equivale a 39,4% das vendas. Preocupada com este tema, a Cury Construtora lançou uma nova modalidade comercial, batizada de "compra definitiva". Em parceria com a Caixa, o processo reduz os riscos para o comprador. Leonardo Mesquita explica mais sobre o assunto.

Como funciona a modalidade "Compra definitiva"?

Se antes, no modelo padrão, a compra de um imóvel poderia demorar mais de 90 dias (considerando a data de lançamento do empreendimento até a primeira data de assinatura do financiamento), agora esse processo foi reduzido para, em média, 18 dias. Isso porque o prazo máximo entre a solicitação do financiamento e a liberação do crédito é de até 15 dias no novo modelo de compras. Além disso, nos casos em que FGTS não é utilizado, o prazo pode cair para nove dias. Para que a venda definitiva seja possível nesse curto período, o comprador precisa apresentar, na escolha do imóvel, todos os documentos solicitados pela Caixa para financiar a aquisição. Ou seja, a nova modalidade garante o repasse à Caixa simultaneamente à assinatura do contrato de compra e venda.

Por que a Cury decidiu implantar este processo de vendas?

Para criar um modelo mais seguro de venda tanto para o cliente quanto para a empresa. Pensando em garantir essa segurança, a Cury se uniu à Caixa Econômica Federal para atuar diretamente no processo de vendas, agilizando o financiamento. Para que isso aconteça, representantes de vendas especializados no segmento do Minha Casa Minha Vida trabalham no estande de vendas, onde é possível concentrar todas as etapas da venda e financiamento num mesmo ato.

Quantos clientes já se beneficiaram desta medida?

A Cury Rio já realizou mais de 1.200 vendas desde abril, quando começou a implantar a nova modalidade.

O distrato é um grande desafio. Este processo pretende minimizar o problema?

Em 2016, cerca de 17% das vendas realizadas pela Cury foram distratadas. No novo processo de compra, o distrato se torna impossível já que o financiamento do banco estará assinado, garantindo mais transparência para o cliente.

O mercado sofre com os estoques altos. Como está a situação da empresa?

Atualmente, a Cury tem cerca de 600 unidades à venda, em 15 empreendimentos localizados em diversas cidades, como Rio, Nova Iguaçu, São Gonçalo, Caxias e Niterói.

A crise financeira atingiu o planejamento para o ano?

É evidente que a crise tem atrapalhado o volume de pessoas que buscam a compra de imóveis, e isso, de alguma forma, nos atinge. No entanto, como a demanda do MCMV ainda é muito grande, estamos seguindo o plano desenhado para 2017. A crise nos fez rever nossos processos internos para gerar mais eficiência e segurança nas relações. Podemos dizer que a crise está impulsionando mudanças positivas dentro da empresa. A Cury vem repetindo os números do ano de 2016 e com a vantagem de atuar em 2017 com um modelo de vendas mais seguro.

A empresa tem muitos lançamentos na Zona Norte. Esta região é prioritária para a Cury?

Em pesquisas junto a nossos clientes, tentamos identificar as regiões mais procuradas, conciliadas com as melhores oportunidades de investimento. E isso se reflete na Zona Norte do Rio, onde já temos alguns de nossos principais projetos. Outra região que está no radar é São Gonçalo. O local tem forte potencial para expansão imobiliária devido à localização estratégica. A Cury acaba de lançar seu quinto empreendimento na cidade.

Fonte: Extra, Imóveis, 04/09/2017